13/05/2018 às 01:04 Fotografia

Você já ouviu falar de fotografia documental?

2249
2min de leitura

Fotografia documental é contar uma história, registrar um momento de lugares e pessoas usando a arte da fotografia. Esse trabalho incrível vem sendo desenvolvido por fotógrafos de destaque no mundo todo como o mineiro Érico Hiller por exemplo, que já fez o registro documental de questões ambientais e humanitárias na Tanzânia; Etiópia; Mata Atlântica e outros. Não se trata apenas de um trabalho bonito, esse projeto presta um serviço à sociedade a partir do momento que suscita debates sobre os problemas sociais, morais e religiosos que afligem a humanidade.

De forma simples, a fotografia documental busca a mistura perfeita de arte, visão pessoal do fotógrafo e o registro histórico. É um trabalho que estimula a verdadeira vocação dos fotógrafos, a mais profunda paixão.

Eu, assim como muitos amigos fotógrafos paqueramos a fotografia documental como um desafio pessoal e constante. Exige um trabalho mais técnico, estimulante. É como construir do zero uma história, uma narrativa. Pessoalmente, considero este tipo de trabalho uma oportunidade incrível de autoconhecimento e marca no mundo, pois por meio da fotografia documental é possível exprimir sua visão sobre os assuntos e ir além, compartilhando tudo isso com os outros graças a fotografia.

Como fazer?

Um bom trabalho de fotografia documental está inteiramente ligado ao empenho do profissional de fotografia. Muitas questões relacionadas da profissão são levadas em conta. Mas o que posso citar aqui como os principais são:

1. Buscar conhecimento: Quero dizer se aprofundar no tema que escolher para este projeto. Pesquisar sobre o assunto, mas procurar os outros lados da questão. Conversar com as pessoas impactadas com o tema. Se você documenta um animal, por exemplo, deve procurar registrar seu dia a dia, seu habitat, os tipos, a alimentação, os predadores, assim por diante.

2. Tempo: O processo de desenvolvimento de uma fotografia documental exige tempo. É preciso muita dedicação e observação. Após capturar um apanhado de fotos é preciso seleciona-las com cuidado de maneira que o trabalho fique harmonioso e coerente.

3. Envolvimento: Esse tipo de trabalho envolve emoções. Por isso, quanto mais se envolver pessoalmente no assunto mais seus sentimentos ficarão evidentes no trabalho e este é o objetivo, pois desta forma outros poderão se identificar com suas ideias apresentadas.

 FOTO:Registro documental de Érico Hiller em Dharavi, a maior favela de Mumbai/Índia. Seu envolvimento com causas humanitárias é impressionante.

Como sempre, muito suspeito para falar dessa arte que eu amo. Poderia escrever mais mil parágrafos sobre o assunto, mas vou deixar para os próximos posts, ok? Então acompanhe a página!

E nosso documental de família? Já conhece?

13 Mai 2018

Você já ouviu falar de fotografia documental?

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL

Quem viu também curtiu

19 de Mai de 2018

Tipos de fotografia: Social, documental e artística

01 de Nov de 2017

A importância de registrar sua gravidez

07 de Jun de 2018

Diferença entre Fotojornalismo e Fotografia documental